<$BlogRSDUrl$>

quinta-feira, maio 18, 2017

Twin peaks gone 



Lembro-me muito bem do Twin peaks, claro. Mas não me lembro de nada. Nada. Nicles.

Quer dizer, reconheço a cara do actor, a música e a Laura, sei que havia um detective, mas não me lembro de nada. Nadaaaa.

E era tão importante à altura. Espero que isto sirva de lição. Espero que seja exactamente isto que eu vá pensar depois de alguns anos passados sobre a presidência Trump…

0 comments

Post a Comment

quinta-feira, abril 20, 2017

I am afraid 

and I don't have the drugs to sort it out 

the National, https://youtu.be/uWd0EWKpH94?t=2368

0 comments

Post a Comment

quarta-feira, abril 19, 2017

Pois é 

Tout homme qui, à quarante ans, n'est pas misanthrope, n'a jamais aimé les hommes.

Chamfort

0 comments

Post a Comment

segunda-feira, março 27, 2017

Girl power 




I have been so far able to create room for space rockets and alternative rock in their lives but it is hard to fend off the pressure to turn everything into pink

0 comments

Post a Comment

sábado, março 18, 2017

La la land 

A magia do cinema que me apanhou como um murro no estômago.
Não era um musical? Então que fim é aquele?

É bom, muito bom. E tão doce é a história que queremos que seja real; não queremos que se torne real.

A cena da primeira discussão é brilhantemente carregada pelos olhos da Emma Stone. E, no fim, quando se concentra uma vida numa canção, há um mundo todo que se derrama nas lágrimas da música e nos quer levar consigo.

Sim, há os clichés de Paris e dos vídeos de família de uma qualidade degradada que já não existe.

Mas no fundo, o que nos interessa é que não queremos que seja verdade. Mesmo se sabemos que não é possível. Ou talvez seja; afinal este é um filme com música - e as pessoas não costumam começar a cantar e dançar nas ruas.

0 comments

Post a Comment

terça-feira, março 14, 2017

The best in a long, long, long time 

"If I want your opinion, I will give it to you"

0 comments

Post a Comment

terça-feira, janeiro 17, 2017

Faz até mais sentido 

Um dos problemas com as pretensões sobre reencarnação e o ter vivido vidas passadas é que sobejam as histórias de princesas da corte francesa, oficiais napoleónicos ou pilotos de caça ingleses. É bastante mais raro ouvir-se falar de criadagem, soldados rasos ou presos comuns.

Mas então ocorreu-me. Se este mundo não é propriamente justo, por que razão haveria o próximo de o ser? Se calhar, só mesmo os privilegiados têm direito a reencarnar.

0 comments

Post a Comment

segunda-feira, janeiro 16, 2017

It's all so quiet 

Tão calmo que fiz festas à Lia só para a ouvir ronronar.

0 comments

Post a Comment

segunda-feira, janeiro 09, 2017

Teste americano 

Somos um pedaço de pó no meio de um universo gigantesco para além do imaginável, de uma total irrelevância;
ao mesmo tempo, a estrutura mais básica da física parece ter afinado uma meia dúzia de variáveis fundamentais exactamente com o ajuste milimétrico que permite a existência;
por outro lado, somos estruturalmente inadequados, incapazes de compreender essa mecânica, a física quântica ou a matemática que equaciona a soma de todos os números inteiros a -1/12...

Talvez seja a única maneira, um constante esforço de quadrar o círculo. Na realidade, é igualmente impossível e impensável que algo possa ser ou não ser, que o tempo possa ter começado ou ter existido desde sempre, que o universo tenha ou não tenha significado.

Talvez a única resposta concebível seja "todos os anteriores".

0 comments

Post a Comment

sexta-feira, janeiro 06, 2017

Sombra 

É difícil pensar separadamente na Rosa; é difícil dar-lhe a total individualidade de uma pessoa, da mesma forma que não é fácil pensar a sua ausência.
Ela esteve sempre lá, sem ser - sem poder ser - só ela. Como uma sombra, uma nossa sombra, acompanhou-nos nessa forma toda a vida.

0 comments

Post a Comment

This page is powered by Blogger. Isn't yours?